sexta-feira, 29 de agosto de 2014

«São normais mudanças na equipa» – Paulo Bento.

O selecionador Paulo Bento explicou que as chamadas de jogadores como, por exemplo, Ricardo Horta, Pedro Tiba ou Ruben Vezo estão relacionadas com as normais mudanças após um Mundial ou Europeu.

«É normal após cada fase final mudanças na Seleção. Estes jogadores são os que nós entendemos que estão em melhores condições para este jogo. Neste momento, a opção técnica recaiu sobre estes atletas, mas em Outubro logo veremos o que irá acontecer», afirmou Paulo Bento, em conferência de Imprensa.

Sobre as apostas para o jogo com a Albânia.

«Bruma já esteve connosco. Adrien, Rúben Vezo, Pedro Tiba, Ricardo Horta e André Gomes estão relacionados com o trajeto natural dos jogadores.»

«Ronaldo não está em condições de jogar» – Paulo Bento.

O selecionador de Portugal, Paulo Bento, esclareceu que o departamento médico da Seleção Nacional o informou que Cristiano Ronaldo não está em condições de defrontar a Albânia, pelo que ficou de fora dos convocados. 

«As indicações que o nosso departamento médico tem são que Cristiano Ronaldo não está em condições para competir e optamos por não o chamar. A situação de Hélder Postigo e Hugo Almeida é diferente porque não estão a competir e não estão integrados em nenhum contexto de treino», afirmou Paulo Bento, em conferência de Imprensa. 

O selecionador negou que a decisão de não chamar Cristiano Ronaldo para o jogo com a Albânia seja também um alerta ao Real Madrid para a necessidade do jogador em parar de competir.
«Não mando no Real Madrid. Apenas mando na Seleção Nacional em quem entra ou sai. Tenho informações que ele não pode competir por parte do departamento médico da Seleção.»

Ronaldo falha Albânia.

O goleador português Cristiano Ronaldo não figura entre os convocados do selecionador Paulo Bento para a partida frente à Albânia, de qualificação para o Euro-2016.

A razão da ausência do capitão da Seleção Nacional está relacionada com problemas físicos.

De salientar as chamadas de Bruma, Adrien, Ruben Vezo, Ricardo Horta, André Gomes e Ivan Cavaleiro.

Lista de convocados:

Guarda-redes: Anthony Lopes (Lyon/Fra), Eduardo (Dínamo de Zagreb/Cro), Rui Patrício (Sporting).

Defesas: André Almeida (Benfica), Fábio Coentrão (Real Madrid/Esp), João Pereira (Valência/Esp), Pepe (Real Madrid/Esp), Neto (Zenit São Petersburgo/Rus), Ricardo Costa (Al-Sailiya/Qat), Ruben Vezo (Valência/Esp), Antunes (Málaga/Esp).

Médios: Adrien (Sporting), André Gomes (Valência/Esp), João Moutinho (Mónaco/Fra), Miguel Veloso (Dínamo de Kiev/Ucr), Pedro Tiba (Sporting de Braga), Raul Meireles (Fenerbahçe/Tur), William Carvalho (Sporting).

Avançados: Vieirinha (Wolfsburgo/Ale), Bruma (Galatasaray/Tur), Éder (Sporting de Braga), Ivan Cavaleiro (Deportivo da Corunha/Esp), Nani (Sporting) e Ricardo Horta (Málaga/Esp).

Sergio Costa será o adjunto de Paulo Bento.

A Federação Portuguesa de Futebol anunciou, em conferência de imprensa no último dia 26 de agosto, que Sérgio Costa será o adjunto do selecionador nacional, Paulo Bento, à frente de Portugal.

Por sua vez, José Carneiro, que, tal como o novo adjunto, se encontrava na posição de observador, irá assumir o cargo de observador principal e responsável pelo scouting.

Ambos já se encontravam na estrutura federativa, pelo que agora mereceram a promoção face à saída de Leonel Pontes para o comando técnico do Marítimo.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Estádio Algarve recebe Seleção

O jogo de apuramento para o Campeonato da Europa França 2016, diante da Arménia, a 14 de novembro de 2014, vai ser disputado no Algarve.

Recorde-se que na corrida ao Euro 2016, a Equipa das Quinas está inserida no grupo I, juntamente com a Dinamarca, a Sérvia, a Arménia e a Albânia, sendo que a França também cumprirá a sua preparação para o Europeu disputando os seus jogos neste grupo, ainda que os resultados obtidos diante dos "gauleses" não tenham repercussão na classificação. 

Os dois primeiros classificados garantirão a qualificação direta, assim com o terceiro colocado se for o melhor entre os nove terceiros classificados dos diferentes grupos de apuramento. Os restantes oito terceiros colocados disputarão um play-off de onde saíram as quatro vagas em aberto.

A França acolherá, pela terceira vez, a fase final de um Campeonato da Europa. Bordéus, Lens, Lille, Lyon, Marselha, Nice, Paris, Saint-Denis, Saint-Etienne e Toulouse serão, entre 10 de junho e 10 de julho de 2016, as cidades anfitriãs do Euro 2016.

Sétima partida no Estádio Algarve
O primeiro encontro da Seleção Nacional no Estádio Algarve ocorreu a 18 de fevereiro de 2004, num jogo de preparação, que terminou com um empate (1-1) diante da Inglaterra. O regresso a um dos estádios do Euro 2004 sucedeu no ano seguinte, a 3 de setembro de 2005, num jogo de qualificação para o Mundial 2006, em que a Equipa das Quinas venceu o Luxemburgo, por expressivos 6-0.

Num encontro de preparação para o Mundial 2010, a 11 de fevereiro de 2009, a nossa Seleção voltou ao Algarve e bateu a Finlândia, por 1-0. No arranque da temporada 2011/12, a 10 de agosto de 2011, a formação lusa voltou a golear o Luxemburgo neste recinto, desta feita por 5-0.

O penúltimo encontro neste palco marcou o início da preparação da fase de qualificação para o Mundial do Brasil. A formação lusa bateu então o Panamá, por 2-0.

Um ano depois, em agosto de 2013, Portugal e Holanda empataram a uma bola.

Foto: FPF/Diogo Pinto

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Ranking FIFA: Portugal em 11.º

A Seleção Nacional está 11.ª posição do ranking FIFA. A entidade que rege o futebol mundial divulgou, esta quinta-feira, a atualização mensal de uma contagem que é agora liderada pela recém-campeã Mundial Alemanha, que destronou a Espanha da primeira posição. 

O pódio da tabela reflete, de resto, os resultados do último Campeonato do Mundo do Brasil, com Argentina (2.º) e Holanda (3.º) a saírem beneficiadas da sua participação no certame.

A "Laranja Mecânica" e a Costa Rica (atualmente no 16.º posto) partilham o estatuto de equipas que subiram mais posições (12) após o Mundial-2014.

Ronaldo eleito melhor desportista internacional

Cristiano Ronaldo, Bola de Ouro FIFA 2013, foi alvo de mais uma distinção. O capitão da Seleção Nacional venceu o prémio de Melhor Desportista Internacional do Ano na 22.ª edição dos prémios ESPY (do canal desportivo norte-americano ESPN), superiorizando-se a grandes nomes do desporto mundial como o tenista espanhol Rafael Nadal, o golfista sul-coreano Inbee Park e o piloto alemão Sebastian Vettel.


Cristiano Ronaldo já reagiu a esta distinção através da sua conta pessoal de twitter: "Muito obrigado a todos os que votaram e que tornaram possível que vencesse o prémio ESPY."

Ronaldo entre os dez melhores da Europa

A UEFA divulgou, esta quinta-feira, os dez candidatos ao prémio de melhor jogador da Europa, que inclui o capitão da Seleção Nacional, Cristiano Ronaldo. 

Esta lista será, ainda, reduzida a apenas três nomes, que serão anunciados no dia 14 de agosto.

O prémio vai ser entregue no Mónaco, a 28 de agosto, aquando do sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões 2014/2015.

Lista dos finalistas:
Diego Costa (Espanha, Atlético de Madrid/Chelsea)
Ángel Di María (Argentina, Real Madrid)
James Rodríguez (Colômbia, Mónaco)
Philipp Lahm (Alemanha, Bayern)
Lionel Messi (Argentina, Barcelona)
Thomas Müller (Alemanha, Bayern)
Manuel Neuer (Alemanha, Bayern)
Arjen Robben (Holanda, Bayern)
Cristiano Ronaldo (Portugal, Real Madrid)
Luis Suárez (Uruguai, Liverpool/Barcelona)

terça-feira, 1 de julho de 2014

Paulo Bento: «Tenho consciência de que falhámos o objetivo»

Na sua primeira entrevista depois da participação no Campeonato do Mundo, Paulo Bento reafirmou, na TVI24, a ideia que já tinha transmitido no Brasil e sobre a qual não existem dúvidas: Portugal falhou o objetivo mínimo a que se tinha proposto na competição, atingir os oitavos-de-final.

"Parece-me claro que houve coisas e fatores que não correram bem. Tínhamos um objetivo claramente definido, que era passar a fase de grupos. Não o conseguimos, pelo que a nossa participação tem de ser vista como uma participação negativa. Dececionado? Sim, estamos todos, mas também o povo português. Acima de tudo sou um treinador que tem a consciência de que não alcançou o objetivo que tinha definido", começou por analisar o técnico nacional.

Encontrar explicações para o que de negativo sucedido no Brasil não é fácil, mas Paulo Bento, entre outros fatores, destaca a forma como a equipa não conseguiu reagir à goleada sofrida com a Alemanha logo na estreia.

"Continuo a ter a ideia de que o jogo com a Alemanha nos deixou marcas negativas, tanto a nível de resultado como em termos emocionais. Não nos permitiu que, nos jogos seguintes, tivéssemos uma reação de acordo com o nosso valor", acrescentou.

Paulo Bento: «Mantinha decisão de ficar em Campinas»

Confrontado com a questão muitas vezes falada quanto ao local do quartel-general durante o Mundial'2014, o selecionador nacional Paulo Bento admitiu que, se fosse hoje, não trocaria a decisão.

"Todos falam da questão do clima, mas quantas pessoas falaram disso antes do jogo com a Alemanha? Ou de que deveríamos ir para um sítio mais longe de São Paulo? Essa não pode ser a minha decisão... Se mantinha o quartel-general em Campinas? Claro que mantinha! Não acho que tenhamos perdido com a Alemanha ou empatado com os Estados Unidos por causa disso. Se forem avaliar outros casos, está mais do que provado que as dificuldades são grandes, mas não foi por isso que perdemos por 4-0. Estávamos a perder por 1-0 aos 10'; por 2-0 aos 38'. Não há, do meu ponto de vista, uma questão causa-efeito entre perder por 2-0 por causa da temperatura", disse, à TVI24.

Em relação às declarações de João Moutinho, que admitiu a dificuldade em jogar em Manaus, Bento foi claro. "A partir dos 80 minutos, quando estávamos a perder, tivemos uma reação, o que mostra que acabava por ser uma questão mais mental do que física. É evidente que há períodos em que os jogadores estão cansados por vários motivos. Mas não me parece que possamos relacionar tudo o que tenha a ver com resultados com a questão da temperatura, com a questão da humidade. Houve outros erros a ver com jogo, nomeadamente técnico-táticos. Não deixámos de cometer erros no primeiro golo dos Estados Unidos, ou no segundo. Tudo isso deriva da questão climática? Claro que não! Não conseguimos ser competentes...", analisa.

"Hoje em dia joga-se nas mais variadas horas e não acredito que, com cada alteração de horário, se vai condicionar com base nessa alteração. Se se jogar as quatro, vamos treinar às quatro? Falando da questão da Alemanha: eles chegaram ao Brasil três dias antes de nós. Três dias não são suficientes para nos adaptarmos, nem três treinos chegam para justificar resultados."

"Chegámos como chegaram muitas outras equipas e na minha opinião não é suficiente para uma adaptação. Se formos jogar para Manaus, não nos vamos adaptar numa semana ou em duas. Mas quando vamos à Bolívia, não vamos uma semana antes", analisou.

Recordando o Euro'2012, Paulo Bento explicou que tudo se processou da mesma forma: "Quando chegámos à Polónia, faltavam cinco dias para o primeiro jogo. E, se fossemos mais cedo para o Brasil, era por questão de fuso horário. Por isso, não teria cortado do plano ir aos Estados Unidos. Nós perdemos o jogo com a Alemanha, ou não ganhámos ao Estados Unidos, por erros que cometemos, que eu também cometi, por opções que demorei a tomar, mas não pelo planeamento, ou por chegarmos quando chegamos e por treinarmos em São Paulo".

"A maioria das equipas ficaram em São Paulo, Rio ou Minas Gerais. A exceção foram Grécia, Croácia e Gana, que estiveram em zonas quentes e de humidade... E não alterava nada do nosso plano, porque tivemos tempo para planear, sabendo o clima que iríamos ter para jogar e o que iríamos ter para treinar. Sabíamos o nosso objetivo e fizemos por consegui-lo", concluiu.